quinta-feira, 29 de julho de 2021

13 de maio: uma vitória do povo, esqueçamos a princesa Isabel

Desde a década de 1830, a impossibilidade da manutenção do regime escravista estava no horizonte do governo e das classes proprietárias. Mas, é preciso destacar que o desmantelamento formal do trabalho escravo em 13 de Maio de 1888 não foi obra da família imperial, ou tão somente dos deputados abolicionistas; e sim, o triunfo de um movimento com forte apelo popular.

Cem anos de solidão dos personagens negros na literatura brasileira

O escritor Gabriel Garcia Márquez já disse que arte e ciência não são tão distantes umas das outras como se imagina. Nesse sentido, afirma: “A ideia de que a ciência só concerne aos cientistas é tão anticientífica como é antipoético pretender que a poesia só concerne aos poetas.”. Afirma...

25 anos do Massacre de Eldorado dos Carajás

Há exatos 25 anos 1500 famílias do MST, que marchavam para Belém (PA) com o objetivo de acelerar o processo de desapropriação de uma área improdutiva, foram brutalmente reprimidas pela PM na altura do município de Eldorado dos Carajás. O episódio, que resultou no assassinato de 19 trabalhadores sem terra, ficou conhecido como o Massacre de Eldorado dos Carajás.

Caminhos da resistência: a consciência negra de Martiniano Bomfim

Calcula-se que cerca de 5 milhões de almas escravizadas aportaram no Brasil durante os séculos XVII e XIX para trabalharem até a morte nas lavouras e minas desta porção continental da América do Sul.[i] Numa assimetria brutal entre capital e trabalho, motor fundamental da acumulação primitiva de capitais e, por conseguinte, a fonte fundadora da modernidade ocidental, a única resistência possível à atroz desumanização foi a luta espontânea ou organizada contra o senhor opressor.

A longa duração do 11 de setembro

O ataque ao complexo militar e financeiro dos Estados Unidos em 11 de Setembro de 2001 marcou profundamente o imaginário político-cultural do início do século XXI. Representado como potência hegemônica incontestável, cujo poder econômico respondia por 30% do PIB mundial há época, os EUA viam-se naquele fatídico dia sob ataque direto pela primeira vez desde o fim da 2° guerra mundial: os antigos aliados de ocasião supostamente se voltavam contra as entranhas do império do norte. Até aquele evento dramático, superior aos efeitos especiais que retratavam o fim dos tempos no cinema, o pós-modernismo e sua ideologia econômica, o neoliberalismo,[1] balizavam o assim chamado fim da história, supostamente sacramentado pela dissolução e colapso do socialismo real soviético, que, como uma avalanche, parecia soterrar definitivamente as estratégias de luta e resistência de povos e nações contrários ao etnocentrismo compulsório da chamada civilização ocidental.

O futebol: um jogo de classe

O futebol é um esporte que motiva fortes paixões. Move multidões mundialmente ao longo de mais de um século e cristaliza inúmeras contradições, que, de certo modo, permite desvendar determinados movimentos sociais ao longo da história. Trazido para o Brasil por Charles Miller em 1894 com o intuito de...
Manifestantes de 25 de abril de 1983 na cidade do Porto, aniversário da Revolução dos Cravos.

A Revolução dos Cravos vista dos trópicos

Desde 2015 as instituições brasileiras se encontram em estado de completa degradação e autodestruição; estado que historicamente sempre caracterizou o surgimento de governos autoritários. Ontem assistimos aos partidos do judiciário e do “exército” entrarem em choque. A esquerda deverá estar atenta e vigilante para construir uma agenda independente dos...

O Carnaval de Rua de São Paulo da última década

Neste ano, o carnaval de rua de São Paulo atingiu números recordes e reivindicou para si o título do maior, senão um dos maiores, carnavais de rua do Brasil. Mas nem sempre foi assim, no início desse século, São Paulo contabilizava os recursos que deixavam de circular na economia...